quarta-feira, 30 de maio de 2012

Educação Especial em foco - Deficiência Auditiva e Surdez: a implantação em sala de aula do Professor Interlocutor de Língua Brasileira de Sinais

Hoje irei falar um pouco sobre a Educação Especial em foco - Deficiência Auditiva e Surdez da Rede Estadual de Educação do Estado De São Paulo da Diretoria de Ensino de Suzano e Ferraz de Vasconcelos, situada na Avenida Mogi das Cruzes Nº 175, Jardim Imperador, Suzano/ São Paulo, onde atuo como Professora Interlocutora. A função de Professor Interlocutor iniciou-se no ano de 2011 com a implantação de Professores capacitados em Libras (Língua Brasileira de Sinais) para atuar em sala de aula auxiliando o aluno como, um Professor Interprete, que "traduz" a aula aos alunos Deficientes Auditivos e/ou Surdez, e foi neste contexto que iniciei minha participação na Educação Especial. Em 2011 além de Professora de Língua Portuguesa ingressei na Educação Especial como Professora Interlocutora na Escola Estadual Sebastião Pereira Vidal onde começei a conhecer as diversidades na sala de aula, o que me fez cada vez mais me apaixonar pela minha função. Inciei numa turma de nono ano, com apenas trinta e três horas de Curso de Libras, porém no mesmo dia que começei a lecionar fiz minha matrícula na Universidade Cidade de São Paulo (Unicid - EAD) onde curso Pós-Graduação lato sensu em Libras e iniciei um novo Curso Básico no Instituto Mello Dante em Mogi das Cruzes dando continuidade ao término total (Módulo Avançado) com carga horária total de cento e vinte horas. O ano de 2011 para a Educação Especial com foco na Deficiência Auditiva foi muito lucrativo, pois tivemos Capacitação no CAPE (Centro de Apoio Pedagógico Especializado) com palestras que nos acrescentou muitas coisas para ajudar no nosso desenvolvimento em sala de aula. A Educação Especial na Diretoria de Ensino de Suzano e Ferraz de Vasconcelos, enfatizando a área da Deficiência Auditiva e/ou Surdez, cresceu muito, pois antes estas crianças só contavam com as Salas de Recursos, um espaço de investigação e compreensão dos processos cognitivos, sociais e emocionais, visando a superação das dificuldades de aprendizagem e o desenvolvimento de diferentes possibilidades das crianças, o que já era maravilhoso, mas com a ampliação da Educação Especial em São Paulo e em todo o Brasil ficou muito mais fácil a interação dessas crianças ditas "diferentes" com os demais, ouvintes. Tivemos em 2011 um grande avanço com a Supervisão da Educação Especial, um avanço extremamente significativo, principalmente para os Professores Interlocutores, pois tudo é bem planejado e todos tem voz ativa para expor suas ideias, experiências e dificuldades, nada em 2011 foi feito com correria, pois sempre tinha prazos para que os resultados fossem positivos. Atualmente atuo como Professora Interlocutora na Escola Estadual Professor David Jorge Curi, também integrante da Diretoria de Ensino de Suzano e Ferraz de Vasconcelos, no período noturno com um aluno de terceiro ano do Ensino Médio, e a cada dia me sinto mais entusiasmada, pois como os ouvintes eles tem muitas dificuldades sim, mas a maneira de querer aprender é diferente, é como se eles "tivessem fome de aprender", o que para minha atuação é milhões de pontos a mais, pois só tive uma experiência tão maravilhosa quanto essa quando lecionei no EJA (Educação de Jovens e Adultos) no ano de 2010 na Escola Estadual Alfredo Roberto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário